O arrebatamento será na Festa das Trombetas?

O arrebatamento será na Festa das Trombetas?


11822351_1602803656646980_9084839424990184827_nEstamos nos aproximando do Yom Teruah/Rosh HaShanah também conhecida como a Festa das Trombetas e sabem oq isso significa? O Arrebatamento (Sim!, Possivelmente).
OBS: Por favor! Não quero que vocês fiquem com a impressão de que este post tem como o objetivo de marcar alguma data para esse evento (o arrebatamento), não é bem assim…!
Isso é apenas um esforço especulativo para alinhar os fatos, e por isso esse post pode haver alterações caso haja novas informações!
É um estudo bem extenso mas que vale a leitura para que possamos estar preparados para o grande dia!
O Arrebatamento ñ é iminente, ou seja ele ñ ocorrerá a qualquer momento… , então, há uma época determinada para ocorrer o arrebatamento? A Resposta é SIM.
Para se entender a revelação das Escrituras sobre o Arrebatamento é importante que se saiba o significado profético das festas judaicas do SENHOR, bem como se tenha conhecimento das expressões idiomáticas judaicas utilizadas pelo Messias e pelos judeus crentes do primeiro século.
Há uma enorme necessidade da Igreja de Cristo compreender os significados proféticos das festas do SENHOR, até porque elas estão ligadas a nossa redenção.
As sete festas judaicas (as festas do SENHOR) foi ordenada por Deus ao povo de Israel através de seu servo Moisés descritos na Torah, especificamente no livro de Levítico cap 23.
”Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: As solenidades do Senhor, que convocareis, serão santas convocações; estas são as minhas solenidades (Minhas festas/Meus compromissos):
Estas são as solenidades do Senhor, as santas convocações, que convocareis ao seu tempo determinado”. (Lev 23:2-4)
As quatro primeiras festas, também chamadas “festas da primavera”, apontam para a primeira vinda do Messias, que foram perfeitamente cumpridas pelo Messias nos dias determinados.
A Pessach (Páscoa Judaica) apontam para crucificação e morte de Yeshua (Jesus). (Cumprida)
Matzot (Pães Ázimos) apontam para o sepultamento de Yeshua (Jesus). (Cumprida)
Habikurim (Primícias) apontam para a Ressurreição de Yeshua (Jesus). (Cumprida)
Shavuot (Pentecostes) apontam para a descida do (Ruach Hakodesh) Espírito Santo no dia de pentecoste. (Cumprida)
As últimas três festas, também chamadas “festas do outono” apontam para a segunda vinda do Messias, a primeira festa do outono é o Yom Teruah/Rosh Hashaná conhecida como a Festa das Trombetas que Profeticamente apontam para o Arrebatamento da Igreja. (Muito próximo de ser cumprida)
Yom Kippur (Dia da expiação) é o dia do Perdão e aponta para a redenção de Israel durante o período da tribulação. (ainda a se cumprir)
Sukkot (Festa dos tabernáculos) apontam para o retorno do Messias à terra e o estabelecimento do Reino milenar. (ainda a se cumprir)
Vamos à Festa das trombetas que apontam para o arrebatamento da Igreja.11202970_1610407839219224_4881118930682871538_n
Tendo o ciclo das primeiras quatro festas sido plenamente cumprido pelo Messias em sua primeira vinda, o ciclo das três últimas festas será também perfeitamente cumpridas pelo Messias em sua segunda vinda.
Para se compreender plenamente as profecias do arrebatamento contidas na Bíblia, é importante que se atenda a dois pontos: primeiro é importante que se tenha compreensão dos significado profético das festas judaicas do Senhor; e segundo é importante que se conheçam as expressões idiomáticas judaicas do primeiro século, utilizadas pelo Messias e pelos seus apóstolos. Vale destacar que tanto Yeshua (Jesus) quanto os apóstolos, eram todos judeus, seguidores da Torah (Pentateuco) e do Tanach (Antigo Testamento).
Considerando que a compreensão do significado profético da Festa das Trombetas aponta para o Arrebatamento da Igreja, e ocorre três meses após a última festa da primavera (Shavuot/Pentecostes), o intervalo entre Shavuot e Yom Teruah (Festa das Trombetas) representa o tempo que estamos vivendo agora ou seja o tempo dos gentios e também chamado de tempo da graça.
A Festa das Trombetas ocorre no 1° dia do mês de Tishri, o sétimo mês do calendário judaico religioso e o primeiro do calendário Judaico civil (setembro/outubro no nosso calendário) e ocorre tbm no 1º dia da Lua Nova, considerada a noite mais escura do mês, razão pela qual não era fácil identificá-la, tendo em vista que sua face escura está voltada para a Terra e sem acesso do sol.
A Festa das Trombetas é celebrada por 2 dias, porque era necessário que se esperasse por até 2 dias para que todos os judeus espalhados pelo mundo soubessem da confirmação do aparecimento da Lua Nova em Jerusalém. Com a confirmação, eles poderiam guardar a festa.
A Festa das Trombetas é o único feriado comemorado por dois dias em Israel, diferente do que acontece com todas as outras festas. A incerteza se dá por causa do calendário que depende de quando a lua nova é vista, designando assim, o início de cada novo mês pelo tribunal rabínico em Jerusalém.
Como o aparecimento da Lua Nova não podia ser calculado com precisão, adotou-se, então, esse costume de se comemorar a Festa das Trombetas em dois dias em vez de um. Assim, a Festa das Trombetas é celebrada no primeiro e segundo dia de Tishrei para que se tenha certeza de que a lua nova apareceria em Jerusalém.
A Festa das Trombetas é tempo de descanso solene, no qual as trombetas são tocadas a fim de reunir o povo de Israel para o alertar a respeito da proximidade do Dia da Expiação (Yom Kippur), que representa um dia de juízo onde se exige preparação e solenidade.
Yom Teruah significa ‘Dia do Shofar’ ou ‘Dia do Despertar do som da trombeta’.
Segundo a tradição judaica – Talmud
Duas testemunhas teriam que presenciar a Lua Nova nos céus de um alto monte em Jerusalém.
Elas voltariam e contariam no templo que presenciaram a Lua Nova e por quanto tempo a viram.
Como resultado dessa verificação pelas duas testemunhas era declarada o início da Festa das Trombetas.
Nas escrituras sagradas há uma referência sobre isso: “Tocai a trombeta na lua nova, no tempo apontado da nossa solenidade (Festa).” (Salmos 81:3)
Lembrando que a Festa das Trombetas é a ÚNICA das sete Festas do Senhor celebrada na LUA NOVA.
A FESTA DAS TROMBETAS TEM DIFERENTES NOMES.
Assim com um homem pode ter nomes diferentes para designá-lo, como; pai, marido, irmão, tio, sobrinho, filho, a Festa das Trombetas também possui nomes que a representam.
Teshuvah – Arrependimento
Rosh HaShanah – Cabeça do Mês – nascimento do mundo
Yom Teruah – Dia de despertar – Dia do toque do Shofar
Yom HaDin – Dia de Julgamento/Juízo
HaMelech – Coroação do Messias
Yom HaZikkaron – Dia de memorial – Dia de Lembrar como memória
O dia da angústia de Jacó – (tribulação)
A abertura dos portões – Dia que os portões se abrem
Kiddushin/Nesu’in – Cerimônia de casamento
A ressurreição dos mortos – Arrebatamento
A última trombeta – Retorno do Messias – Toque do Shofar
Yom Hakeseh – O dia escondido
O dia que “Ninguém sabe o dia e a hora”
Todas essas características nos ligam diretamente ao ARREBATAMENTO DA IGREJA.
Em 1 Tessalonicenses cap 5, Paulo está falando à igreja acerca do Arrebatamento e o dia do Senhor (tribulação/juízo), Paulo diz: Mas, irmãos, acerca dos TEMPOS e das ESTAÇÕES, não necessitais de que se vos escreva.
Ou seja relativo a tempos e épocas, em outras palavras relacionado a festas/ compromissos de Deus,.. Lembrando que Paulo era um judeu e estava falando com um povo que é judeu aqui, e como Paulo estava se referindo a festas judaicas, o povo judeu sabiam tudo à respeito das festas ordenadas por Deus, e por isso Paulo diz que não necessitava que vos escrevesse ou falasse, Pois o povo judeu já conheciam o tempo determinado para o evento qual Paulo estava escrevendo.
Há outros exemplos de Paulo que diz:
“Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos (morreremos), mas todos seremos transformados;
Num momento, num abrir e fechar de olhos (num pôr do sol) , ante a última trombeta (tocada ao final de uma Festa das Trombetas); porque a TROMBETA soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados (ocorrerá o Arrebatamento da Noiva do Senhor)” (1 Coríntios 15:51-52).
“Porque o mesmo SENHOR descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a TROMBETA de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.
Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.” (1 Tessalonicenses 4:16-17)
A “Última Trombeta”, por sua vez, é a última trombeta tocada ao final da Festa das Trombetas, festa esta também chamada de “festival de trombetas”. Este festival é descrito em diversas passagens das Escrituras das quais destacamos as seguintes:
“Fala aos filhos de Israel, dizendo: No mês sétimo, ao primeiro do mês, tereis descanso, memorial com sonido de trombetas, santa convocação.” (Levítico 23:24)
“Semelhantemente, tereis santa convocação no sétimo mês, no primeiro dia do mês; nenhum trabalho servil fareis; será para vós dia de sonido de trombetas.” (Número 29:1)
Considerando que há duas espécies de trombetas nas Escrituras: de metal e de chifre de carneiro (Shofar), a “Última Trombeta” tocada na Festa das Trombetas é um Shofar de chifre de carneiro, diferente da trombeta de metal de Números 10:1-3.
Como vimos acima, as Escrituras se referem ao “sonido de trombetas”, ou seja, há existência de vários toques (sons) de Shofar.
O Shofar, na Festa das Trombetas, é tocado por 100 vezes durante os dois dias da festa.
Vale lembrar que existem 4 toques diferentes de Shofar. Os 3 primeiros toques recebem os nomes de TEKIAH (TOQUE DE DESPERTAR/Clangor) TERUAH e SHAVARIM, os quais são tocados 3 vezes repetidos por 11 vezes, perfazendo um total de 99 toques com esses primeiros 3 tipos de toques.
O centésimo e último toque é dado pela Última Trombeta, a qual apresenta um soar todo especial, diferente dos 99 anteriores. A ÚLTIMA TROMBETA é tocada no último dia de festa e seu toque todo especial se chama TEKIAH HA’GADOLAH (o grande clangor), o qual é um toque bem longo e forte, o mais prolongado possível.
Por ser a Última Trombeta da Festa das Trombetas com um toque todo especial, os judeus sempre a conheceram como a “Última Trombeta”.
Ou Seja o arrebatamento da Igreja ocorrerá em todo o mundo, em um único momento, ao toque da última trombeta dado por um rabino durante a festa das trombetas celebrada anualmente em Jerusalém.
A última trombeta é tocada no final da festa das trombetas, no período do dia conhecido, tradicionalmente, pelos judeus como ”Abrir e fechar de olhos”, ou seja o pôr do sol.
A mudança do dia pra noite acontece num abrir e fechar de olhos pelo fato que ninguém conhece o momento exato da troca do dia pra noite, ou seja o pôr do sol, e foi isso que Paulo quis dizer, que o arrebatamento ocorrerá no pôr do sol.
O toque TEKIAH HA’GADOLAH da Última Trombeta acontece no último dia, no final da Festa das Trombetas, no período do dia que é tradicionalmente conhecido como “abrir e fechar dos olhos”. Esta expressão idiomática judaica do primeiro século significa “o pôr do sol”.
Assim sendo, o Toque do Shofar Final (ÚLTIMA TROMBETA) é tocado somente na festa de Yom Teruah (Festa das Trombetas), no final desse dia de festa, em uma cerimônia de 100 toques, onde a última trombeta é a última tocada encerrando essa festa no pôr do sol (no “abrir e fechar de olhos”).
– O significado da expressão idiomática ”Daquele dia e hora ninguém sabe, só o Pai” utilizada pelo Messias Yeshua (Jesus) em Mateus 24:36.
Devido à incerteza do dia e a hora em que apareceria a Lua Nova em Jerusalém, a Festa das Trombetas, de acordo com a tradição judaica, foi chamada de a “Festa Daquele Dia e Hora Ninguém Sabe”. O próprio Yeshua se utilizou da expressão idiomática “Daquele dia e hora ninguém sabe, só o Pai“, em Mateus 24:36 para se referir ao “Yom Teruah”, quando tratava de sua segunda vinda.
Assim sendo, o próprio Yeshua se referiu à Festa das Trombetas ao nos revelar sobre a sua vinda oculta para arrebatar sua Igreja:
“Mas DAQUELE DIA E HORA NINGUÉM SABE (DAQUELA FESTA DAS TROMBETAS), nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai (sabe).” (Mateus 24:36).
Assim sendo, tendo em vista que a expressão “Dia e Hora Ninguém Sabe” se refere à Festa das Trombetas, Yeshua estará nos revelando, nesta profecia, que a Volta do Senhor se dará por ocasião de uma Festa das Trombetas, celebrada em um ano que somente o Pai sabe.
Ou seja, quanto a saber o ano em que se dará a Festa das Trombetas em que ocorrerá o Arrebatamento da Igreja, somente o Pai Celestial sabe.
– De acordo com a tradição rabínica, Yom Teruah é o dia em que os portões dos Céus são abertos, confirmando as revelações das Escrituras de que o Arrebatamento ocorrerá por ocasião desta Festa.
“Abri-me as portas da justiça; entrarei por elas, e louvarei ao SENHOR. Esta é a porta do SENHOR, pela qual os justos entrarão.” (Salmos 118:19-20)
Como vimos neste estudo, a Festa das Trombetas é a ÚNICA das sete Festas do Senhor celebrada na LUA NOVA.
Tendo em consideração que Yeshua por ser um judeu, Ele usava expressões idiomáticas judaicas segundo seus costumes e tradição.
Segundo o costume judaico, o casamento deve ser celebrado na Lua Nova, por um período de tempo conhecido como “semana do casamento ou semana nupcial da noiva”. Assim, no casamento judaico, o noivo vem para sua noiva, sem aviso para a recolher. Em seguida, ambos vão para a câmara nupcial na casa do pai do noivo. Nesta câmara, coabitam e se regozijam por sete dias com as portas fechadas. Ao final desta semana, ocorre uma ceia de casamento, também chamada de celebração das Bodas.
É impressionante se notar que a Palavra Profética se encontra revelada nas profecias e costumes judaicos fundamentados nos textos Sagrados da Torah (Pentateuco) e do Antigo Testamento.
O casamento entre o Rei dos judeus, Yeshua, e a Igreja se dará EXATAMENTE como previsto entre um noivo judeu e sua noiva. Segundo o costume judaico, o noivo vem buscar sua noiva por ocasião da Lua Nova. Ora, sendo a Festa das Trombetas a ÚNICA FESTA DO SENHOR celebrada em uma Lua Nova, ao seguir a tradição judaica, o Noivo deverá buscar sua Noiva por ocasião da única de suas festas celebrada na Lua Nova: a Festa das Trombetas.
Primeiramente, seguindo a tradição judaica, o Noivo vem ao encontro de sua Noiva para arrebatá-la ao seu encontro:
“Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.
Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.” (1 Tessalonicenses 4:16-17)
O Noivo (Yeshua), em seguida, levará sua Noiva (a Igreja) até a casa de seu Pai, conforme o próprio Senhor nos revelou:
“Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar.
E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.” (João 14:2-3)
O Noivo e a Noiva permanecerão juntos por uma semana (de anos) na câmara celestial a portas fechadas (Mateus 25:10), enquanto, na Terra, estarão acontecendo os sete anos de Tribulação (Daniel 9:27).
“E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta.” (Mateus 25:10)
Sempre seguindo a tradição judaica, ao final desta semana (de anos), será celebrada a ceia de casamento, a chamada Ceia das Bodas do Cordeiro, perfeitamente tratada no Livro do Apocalipse, capítulo 19, que, ao revelar a queda da Babilônia, ao final dos sete anos de Grande Tribulação, revela também que ocorrerá, ao final destes sete anos, a celebração da Ceia das Bodas do Cordeiro.
Tudo minuciosamente perfeito:
“Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou.
E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos.
E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus.” (Apocalipse 19:7-9)
Recorrendo aos textos originais: a sequência do casamento se dá quando o noivo (Yeshua), liberado pelo pai (Deus), ao toque do shofar, na lua nova, vai buscar a noiva (Igreja) na casa dos pais dela, erguendo-a (em hebraico “nissuin”) no ar e arrebatando-a (em hebraico “laqach”) para si, a fim de levá-la à casa que, ele, o noivo preparou para eles, junto à casa do pai dele: “Na casa de Meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, Eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando Eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para Mim mesmo, para que onde Eu estiver estejais vós também” (João 14.2,3).
נשואה n ̂esuw’ah, ou נשׁאה n ̂esu’ah = o que é erguido, levado ou carregado
לקח laqach = arrebatar, tomar, segurar, pegar, tomar por esposa
O casamento do Glorioso Noivo Judeu, Yeshua e sua Noiva (a Igreja do Senhor) se dará nos moldes do casamento judaico.
O Apóstolo Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, confirma a revelação em 1 Coríntios 15:51-52, ao profetizar que o Arrebatamento ocorrerá ao toque da Última Trombeta (como é conhecida a última trombeta tocada ao final da Festa das Trombetas), ao pôr do sol em Jerusalém (a expressão idiomática judaica “num abrir e fechar de olhos”, utilizada no primeiro século, significa “pôr do sol”).
Todavia, a Escritura Sagrada não revela o ano em que ocorrerá a Festa das Trombetas do Arrebatamento da Noiva do Senhor. Jesus confirmou que esta informação somente o Pai sabe. A expressão idiomática “Daquele Dia e Hora Ninguém Sabe” utilizada por Jesus e pelos judeus do primeiro século se referia à Festa das Trombetas, pois, por ser a única festa celebrada na Lua Nova, lhe eram reservados dois dias, tendo em vista que ficava muito difícil se identificar em qual dia efetivamente aparecia a Lua Nova em Jerusalém. Por esta razão, era comum os judeus crentes do primeiro século se referirem à Festa das Trombetas como a Festa “Daquele Dia e Hora Ninguém Sabe, só o Pai”. Assim, uma melhor exegese do texto sagrado de Mateus 24:36 pode ser assim entendida: “Daquela Festa das Trombetas, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai sabe.”
Dando sequência ao casamento do Eterno Messias, sempre e perfeitamente de acordo com o costume judaico, o Glorioso Noivo Judeu, após arrebatar sua Noiva – por ocasião da Lua Nova na Festa das Trombetas, ao som da última trombeta – a levará à morada do Pai (João 14:2-3), onde Noivo e Noiva, a portas fechadas (Mateus 25:10), se alegrarão e regozijarão por uma semana de anos (também chamada, segundo a tradição judaica, de “a semana nupcial da noiva”), no mesmo período em que na Terra ocorrerá uma semana de anos de Grande Tribulação (Daniel 9:27). Ao final dos sete anos, a Babilônia Global será destruída, e a Esposa do Cordeiro, será apresentada, em grande glória, na ceia das Bodas do Cordeiro (Ap 19:7-9).
É importante frisar que a Escritura revela que o Arrebatamento da igreja será acionado pela última trombeta tocada por um rabino na Festa das Trombetas em Jerusalém, “porque a última trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”, ou seja, “a última trombeta soará e ocorrerá o Arrebatamento da Noiva do Senhor”. Sim, o Arrebatamento da Igreja ocorrerá ao final da Festa das Trombetas, a única das sete Festas do Senhor celebrada em uma Lua Nova, nos perfeitos moldes de um casamento judaico.
De acordo com o que examinamos, a revelação sobre em que época do ano ocorrerá o Arrebatamento da Igreja, contida em 1 Coríntios 15:51-52 e 1 Tess 4:16, fica bem clara diante de nossos olhos. E isto é maravilhoso! De acordo com a tradição judaica (lembremo-nos que o Apóstolo Paulo era judeu e profundo conhecedor das tradições judaicas), “abrir e fechar de olhos” significa “pôr do sol” e a “Última Trombeta” se refere à última trombeta tocada na Festa das Trombetas, festa esta celebrada por dois dias, a partir do aparecimento da Lua Nova em Jerusalém. Logo, não há dúvida que o Arrebatamento da Igreja ocorrerá ao Toque da ÚLTIMA TROMBETA que ocorrerá no pôr do sol do último dia da Festa das Trombetas celebrada em Jerusalém, “porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”, ou seja, “a trombeta soará e ocorrerá o Arrebatamento da Noiva do Senhor”.
E segundo a tradição judaica e as Escrituras do Tanach (Antigo Testamento), SÓ EXISTE UMA “ÚLTIMA TROMBETA”, ou seja, a última trombeta tocada na Festa das Trombetas. Assim, a “ÚLTIMA TROMBETA” de 1 Coríntios 15:51-52 será a última trombeta que será tocada por um rabino ao final da Festa das Trombetas em Jerusalém, a qual moverá as mãos do Santo dos santos para arrebatar sua Noiva ao seu encontro nos ares.
Lembrando tbm que Deus disse que esses são TEMPOS marcados e isto (as festas) está conectados com o Shamayim, Os corpos celestes..,Sol, Lua, Estrelas,planetas.., Em Gênesis quando Ele os criou, Ele disse em Gênesis cap 1:14 ”Haja luzes na expansão do Shamayim (Shamayim é plural para Céu, então é Céus) para separar o dia da noite, e eles sirvam para SINAIS e para TEMPOS MARCADOS, e para dias e ano.
No ano de 2014/2015 houve e ainda haverá eclipses lunar/solar ligados a festas judaicas e entre outros vários SINAIS nos céus e na terra.
O que nos leva a crer que o arrebatamento poderá ocorrer nessa próxima festa das trombetas ou seja agora em 2015 é que Uma seqüência extremamente rara de eventos ocorre em setembro. A tétrade de luas de sangue que está diretamente relacionada com Israel se sobrepõe ao último ano Shemittah em um ciclo bíblico de sete anos. É o ano de julgamento. (Tribulação?!)
Em Joel 2:31 diz – ”O Sol Se Converterá Em Trevas e a Lua Em Sangue, Antes Que Venha o Grande e Terrível Dia do SENHOR.”
O “Dia do SENHOR” é o ciclo de sete anos de Shemittah, que chamamos de período de Tribulação que também é conhecida como a última semana das 70° semanas profetizada por Daniel e finaliza com o retorno do Messias no ano de julgamento para nações. A Tribulação é o tempo da ira de Deus sobre Israel e a terra. O próximo será em 2022. Isso pode significar que a tribulação começa agora ou somente no próximo, mas não será fora dos ciclos de 7 anos.
Assim como este ano Shemittah termina, um ano de Jubileu começa, que é o último ano em um ciclo bíblico de 50 anos. Isso não pode ter ocorrido antes.
O Alinhando do ano Shemittah com o ano jubileu só pode acontecer em pelo menos 350 anos (50×7).
O Alinhamento de uma tétrade ligada à Israel, um ano Shemittah e um ano jubileu, todos ao mesmo tempo é completamente incrível, raro e astronômico!
Um ciclo Shemittah de sete anos só pode começar depois que um ciclo anterior termina. Tal como o seu calendário, uma semana precede uma outra semana sem exceções.
Se esta última semana de anos não começar este outono (Setembro/Outubro), segundo os especialistas a tribulação não poderá começar por pelo menos 7 anos.
Com os eventos atuais na tecnologia, as tensões entre as nações, uma nova corrida nuclear no Oriente Médio, bem como a crise das dívidas dos bancos centrais e todos os demais sinais visto e que ainda ocorrerá esse ano, pode este mundo durar mais sete anos de construtivas tensões antes do clímax final da semana?
Isso pode significar que o arrebatamento pré-tribulação poderá ocorrer em breve? Ele pode muito bem … ainda mais cedo do que pensamos!
As referências ao sol e à lua, sabemos que são eclipses solares e lunares. Estamos experimentando um padrão raro de quatro luas de sangue, ligados aos dias santos de Israel, isso se chama tétrade. Este padrão inclui eclipses solares que também estão ligados a Israel. É algo muito raro!
Esta tétrade se sobrepõe ao sétimo ano em um ciclo Shemittah chamado de “ano Shemittah”, conhecido por ser um ano de julgamento. Mera coincidência?
A tétrade também se sobrepõe ao início de um ano de Jubileu – o último ano em um ciclo bíblico de 50 anos – que fala sobre como Israel deve retornar à sua propriedade ancestral, como o Monte do Templo. Um ano Shemittah e um ano de Jubileu ocorrendo ao mesmo tempo não acontecerá novamente por centenas de anos.
A tétrade de luas de sangue ligada ao calendário bíblico só voltará a acontecer daqui a 500 anos. Só para lembrar, nas duas últimas vezes que isso ocorreu, Israel venceu guerras de maneira milagrosa, retomando a sua terra e recuperando Jerusalém como sua capital.
Esses padrões são incríveis e convergem para setembro. Mas isso é apenas a ponta do iceberg.
Todos os dias santos da primavera e verão no calendário judaico foram cumpridos pelo Messias na primeira vinda. A era da graça (cerca de 2000 anos) tem permitido que o evangelho se espalhe pelo mundo. Mas esta dispensação irá terminar em breve, com o arrebatamento.
Os dias santos de outono devem ser cumpridas nos eventos que envolvem a segunda vinda do Messias. A primeira parte deve ser o arrebatamento dos verdadeiros crentes, o que claramente ocorre antes da tribulação do Shemittah, segundo as Escrituras.
O Messias falou para a igreja: “Eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para testar os que habitam sobre a terra”. (Ap 3:10)
Paulo escreveu “E esperar dos céus o seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura” (1 Tess: 1:10)
Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo (1 Tess: 5:9).
Um dia santo específico parece ter sido designado para a nossa
libertação e nos livrar da ira do Pai (o arrebatamento). Yom Teruah, a festa das Trombetas que ocorrerá em 13-15 de Setembro, poderá ser este dia. Ele é chamado “dia do esconderijo” porque é a lua nova, quando a lua está oculto aos olhos. Neste dia em 2015 haverá um eclipse solar, quando a Lua também cobri e esconde o sol.
Isaías 26: 19-21 nos mostra uma imagem do Antigo Testamento sobre o arrebatamento pré-tribulacional dos crentes fieis. O versículo 20 afirma: “Vai, pois, povo meu, entra nos teus quartos, e fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te só por um momento, até que passe a ira”.
Além disso, Trombetas são mencionados em muitas escrituras relacionadas com o Arrebatamento, como:
1 Coríntios 15:52
1 Tessalonicenses 4:16
Apocalipse 4:1 (que também menciona os crentes se escondendo atrás das portas mencionadas acima)
Então, em 2015, uma lua escondida esconderá o sol no dia do esconderijo, que é quando trombetas são tocadas anunciando o fim de um ano Shemittah de julgamento e começando um ano de Jubileu, enquanto uma tétrade de luas de sangue ligadas a Israel está ocorrendo. Esse também é o próximo dia santo a ser cumprida profeticamente, segundo a ordem dada em Levítico 23.
Coincidência?
Eu realmente não expliquei em detalhes todos os ocorridos raros e surpreendentes de tudo o que está se alinhando para o próximo outono, e que deve ser visto segundo o cumprimento da Profecia Bíblica. Eu poderia escrever um livro.
Mantenha sua vida em oração e santidade neste momento e assegure-se que você entrará no Reino dos Céus!!
MARANATA!
Para Mais detalhes vejam – https://www.youtube.com/watch?v=cLzqflzMLw
Fonte: Leandra Haddad

O arrebatamento será na Festa das Trombetas? O arrebatamento será na Festa das Trombetas? Reviewed by Fabrício Sena on 06:11:00 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.